Edição 26 – Maio/2012

É de conhecimento geral que o automobilismo de base no Brasil está na ‘UTI’, quase sem vida. A saída da F-Futuro do calendário nacional foi mais um golpe para um país outrora acostumado a revelar grandes pilotos, mas que vê uma escassez de jovens talentos nas pistas. Mas ainda há uma esperança; talvez uma última esperança.

A reportagem de capa da Revista WARM UP 26, assinada por Evelyn Guimarães e Victor Martins, revela que a Vicar, empresa comandada por Carlos Col, responsável pela Stock Car e pelo Brasileiro de Marcas, vai tocar a F3 Sul-americana, o principal certame de base do país. Col, um dos dirigentes mais importantes e influentes do Brasil, detalhou seus planos para voltar a fazer o automobilismo forte por aqui e melhorar a formação dos nossos pilotos para deixá-los em condições de igualdade com os melhores do mundo.

Na seção Grandes Entrevistas, Cleyton Pinteiro, dirigente máximo do esporte a motor nacional, revela à Evelyn Guimarães seus planos para apoiar os jovens talentos brasileiros. O presidente da CBA (Confederação Brasileira de Automobilismo) falou também sobre a possibilidade de se candidatar a um segundo mandato frente à entidade, seu sentimento sobre a tão falada reforma no autódromo de Interlagos e também a tentativa de trazer o Mundial de Rali para o Brasil já em 2013.

Mas para que haja uma melhora concreta na base do automobilismo brasileiro, é preciso, antes de tudo, resolver as pendências do passado para mirar um futuro promissor. Felipe Giacomelli e Renan do Couto trazem uma reportagem sobre 2010, o ano que não terminou, pelo menos na F3 Sul-americana. Tudo por conta de um imbróglio judicial em torno do título daquela temporada. Os postulantes ao caneco na F-Tapetão, digo, F3 Sul-americana, são Bruno Andrade x Yann Cunha. Culpa de um sistema de justiça desportiva arcaico e atrasado.

Giacomelli volta para assinar, em conjunto com João Paulo Borgonove, agora em participação especial na WARM UP, a reportagem sobre a história de uma das equipes mais lendárias do automobilismo norte-americano: a Newman/Haas. O time, que tinha como pilares o ator Paul Newman e Carl Haas (e seu inseparável charuto) fez história, mas sucumbiu à falta de patrocínios, principalmente depois da morte de Newman, fechando as portas de forma melancólica neste ano.

O novato Renan do Couto fecha a WARM UP 26 com uma reportagem especial sobre o passado, presente e futuro de um dos pilotos mais promissores brasileiros da década passada, mas que preferiu interromper sua carreira: Pedro Bianchini, que era, ao lado de Sebastian Vettel, a grande aposta da Red Bull. Mas o destino tratou de dar ao brasileiro um rumo bem distinto do germânico, um dos maiores de sua geração nas pistas.

Confira também a coluna de Fernando Rees, o representante da WARM UP nas 24 Horas de Le Mans, além do Contraponto, onde os jornalistas da revista respondem perguntas sobre automobilismo em geral. E a Click, retratando as 500 Milhas de Indianápolis, fecha a edição 26, tudo com o traço preciso e impecável de Bruno Mantovani e Rodrigo Berton.

Boa leitura!

Os comentários estão encerrados.