Edição 40
Julho/2013

Carta do Editor: O futuro já começou

Não dá mais para compararmos o que acontece hoje com o esporte que surgiu como consequência do advento do motor de combustão. De lá para cá, é desnecessário dizer todas as coisas que mudaram

FELIPE GIACOMELLI, de São Paulo
primeira lição que eu lembro ter aprendido na aula de História, na quinta série, era que é preciso passar muitos e muitos anos para avaliarmos o peso de um fato na história humana. Que me perdoem os historiadores, mas serei obrigado a ignorar essa lição e afirmar que estamos vivendo um novo período no esporte a motor. Não dá mais para colocarmos o que acontece hoje nas pistas com o mesmo esporte que surgiu como consequência do advento do motor a combustão. De lá para cá, é desnecessário dizer todas as coisas que mudaram.

Esta edição da Revista WARM UP é mais uma prova de que o automobilismo está chegando a uma nova fase. Para começar, mostramos aquela que está sendo chamada de ‘a reforma do século’ em Interlagos. A nova construção, mudando o paddock para a Reta Oposta, tem como objetivo adequar o circuito paulista às determinações da F1 para que o contrato com a categoria seja renovado para além de 2014.

Como obras serão feitas com dinheiro público, não dá para ignorar o debate que aconteceu em todo Brasil, há um mês, acerca da gastança para a Copa do Mundo em detrimento de investimento em serviços públicos de qualidade para a população. Embora eu realmente defenda que os organizadores da corrida que deveriam arcar com os custos, também é verdade que há diferenças entre reformar o circuito e erguer um estádio.

Como detalhado pelos repórteres Juliana Tesser, Evelyn Guimarães e Renan do Couto, Interlagos não só traz um retorno financeiro à cidade de São Paulo, como também precisa de manutenções frequentes para poder funcionar. A reforma, portanto, agrega valor ao circuito, além de não ser mais necessário mexer nessas áreas nos próximos anos. É o contrário de diversos estádios em todo o país cujo retorno jamais conseguirá atingir o preço de construção.

A nova pista, aliás, também pedirá por uma nova geração de pilotos. E é aí que entra a história de Jann Mardenborough. Descoberto pela Nissan enquanto jogava videogame, o garoto é o elo entre o automobilismo virtual e o mundo real. Será que com o avanço tecnológico os simuladores podem substituir o kartismo e as categorias de base como primeiros passos de um piloto no esporte?

Além deles, ainda falamos com Felipe Nasr, esperança de um futuro melhor para o Brasil nas pistas, e Jacques Villeneuve. Por fim, Evelyn Guimarães e Renan Do Couto ainda trazem uma matéria sobre a posição política dos pilotos nascidos na Catalunha com relação à independência da região mais rica da Espanha.

Para encerrar, o futuro também chegou à Revista WARM UP. A partir desta edição, assumo a função de Fernando Silva neste processo de levar ao leitor do mais relevante ao mais curioso que acontece nas pistas.

Expediente
 
REVISTA WARM UP
Projeto e Coordenação Editorial Bruno Mantovani
Ivan Capelli
Victor Martins
Editor-chefe Felipe Giacomelli
Editores Felipe Giacomelli
Victor Martins
Revisão Victor Martins
Repórteres Evelyn Guimarães
Fernando Silva
Hugo Becker
Juliana Tesser
Renan do Couto
Victor Martins
Projeto gráfico e tecnológico Ivan Capelli
Direção de arte Bruno Mantovani
Assistente de arte Rodrigo Berton
Jornalista Responsável Victor Martins
(MTb 44.629)

AGÊNCIA WARM UP
Diretor-geral Flavio Gomes
Diretor-executivo Victor Martins
Editores Evelyn Guimarães
Felipe Giacomelli
Repórteres Hugo Becker
Juliana Tesser
Renan do Couto
A Revista Warm Up é uma publicação da Warm Up Informações Especializadas S/C Ltda.
Sede: Av. Paulista, 807, conj. 802,
São Paulo/SP, Brasil.
Fone: (11) 3284.2956
E-mail: revista@warmup.com.br
 

Comentários

 

 
 
 
Próxima matéria

Coletiva
Eles falam, a gente comenta
por Juliana Tesser e Felipe Giacomelli