Edição 45
Dezembro/2013

Lado a lado: Despedidas de Massa e Barrichello

Felipe Massa se despediu da Ferrari no GP do Brasil de 2013 com uma grande festa, bem diferente do que ocorreu com Rubens Barrichello, quando o piloto deixou o time italiano após o GP da China de 2005

RENAN DO COUTO, de São Paulo, com arte de BRUNO MANTOVANI
Ferrari se despediu de Felipe Massa com uma grande festa. Entre o anúncio da contratação de Kimi Räikkönen para 2014 e o GP do Brasil, a equipe italiana prestou várias homenagens ao brasileiro, desde uma despedida emocionante em Mugello até uma grande festa em São Paulo. E fez questão de deixar claro o carinho pelo piloto em todo esse momento, como mostra as palavras do chefe Stefano Domenicali: “Você é um campeão mundial para nós.”

O relacionamento de Felipe com a tradicional escuderia italiana começou em 2001, quando o piloto era apenas uma promessa. Após mostrar valor, ele pôde disputar 139 GPs entre 2006 e 2013, vencendo 11 vezes. Os últimos meses deixaram evidente como os membros da Ferrari gostam de conviver com Massa, e o rompimento foi tratado com naturalidade: era hora de iniciar um novo ciclo.

Mas não foi com as mesmas cerimônias que o antecessor de Massa deixou a escuderia de Maranello. Rubens Barrichello foi piloto da Ferrari de 2000 a 2005 e, nesse período, ganhou nove provas, foi vice-campeão duas vezes, e entrou em conflito em algumas oportunidades com o time e com o companheiro, Michael Schumacher. A relação se deteriorou de vez depois do GP de Mônaco de 2005, quando Barrichello reclamou de uma ultrapassagem do alemão na última volta, desrespeitando um acordo interno da equipe.

Massa, por outro lado, não encarou nenhum conflito muito grande enquanto esteve na Ferrari. O ponto mais baixo, desportivamente falando, foi semelhante ao do compatriota: abrir caminho para o piloto número 1. Barrichello o fez no GP da Áustria de 2002, que dominou de ponta a ponta, mas não levou porque levantou o pé na reta de chegada para Schumacher. Massa ouviu a mensagem de rádio mais famosa da história da F1 no GP da Alemanha de 2010 - “Fernando is faster than you” – e abriu mão de lutar pela primeira vitória após o grave acidente que sofreu em 2009 para favorecer Fernando Alonso.

A REVISTA WARM UP preparou um comparativo dos números alcançados pelos dois pilotos nos anos de Ferrari e comparou o contexto das despedidas de Barrichello, em 2005, e de Massa, em 2013.
Arte: Bruno Mantovani
 

Comentários

Matéria anterior

Futebol na UTI
Uma pensata sobre a horrenda briga de torcidas durante o jogo Atlético-PR x Vasco
por Felipe Corazza