Edição 48
Março/2014

Equipes: Mercedes AMG Petronas F1 Team

Com o carro que mais andou nos testes, o motor mais potente e confiável e uma dupla que conhece o caminho das vitórias, a Mercedes pinta como grande favorita à conquista dos títulos desta temporada

FLAVIO GOMES, de São Paulo
 
As flechas de prata começam o ano como grandes favoritas, com dois pilotos de características bem distintas, mas que já demonstraram que sabem ganhar corridas. Hamilton, pelo estilo mais vistoso e por já ter sido campeão, poderia ser apresentado como candidato mais forte à taça. Mas Rosberg é um ótimo azarão. Quando as coisas estão bem encaixadas, é capaz de brigar na frente em igualdade de condições com qualquer um. E parece ser o caso da Mercedes neste ano.

Os prateados, com 962 voltas completadas em 12 dias de testes, lideraram o ranking dos que mais rodaram e, portanto, chegam a Melbourne conhecendo os mistérios de seu carro mais que qualquer outro time. E o que é mais alvissareiro para a ex-BAR/Honda/Brawn: andando na frente com consistência. Hamilton e Rosberg sempre estiveram entre os primeiros nas tábuas de tempos. E fizeram várias simulações de corrida, com pequena taxa de quebras.

O coração do W05 vem sendo desenvolvido pelos alemães faz tempo, e por isso mesmo apresentou menos defeitos, muito menos, que os Renault. Não por acaso, as equipes que usam unidades de força Mercedes não só rodaram mais que os rivais, como também registraram os melhores tempos. Em todas as sessões, diga-se. Foram 12 melhores voltas partilhadas por Mercedes, Williams, McLaren e Force India. Isso não é acaso.

O desfalque em 2014 será Ross Brawn, que acabou deixando o cargo de chefe de equipe e a F1 também. Foi pescar. Seria um ano bom para ele, estrategista de mão cheia. Mas a estrutura que ele começou a montar lá atrás, quando assumiu o espólio da Honda para criar a Brawn, é hoje bem azeitada e eficiente. Com Hamilton motivado e Rosberg melhorando um pouco o ritmo de corrida, que nunca foi seu forte, podem jogar suas fichas na Mercedes sem muito medo de perder.
Sede: Brackley, Inglaterra
Carro: W05
Motor: Mercedes
Principais dirigentes: Toto Wolff
Paddy Lowe
Niki Lauda
Piloto reserva: Não tem
Em 2013: Vice-campeã Mundial de Construtores (360 pontos)
Melhor resultado: 4ª no Mundial de Pilotos (2013)
Vice-campeã Mundial de Construtores (2013)
Melhor tempo em Jerez: 1min23s952
(Lewis Hamilton, 3º)
Melhor tempo em Sakhir: 1min33s278
(Lewis Hamilton, 2º)
A nova Mercedes pode não ser bonita, mas larga na frente no campeonato. (Foto: Shaun Botterill/Getty Images)
Pilotos
Chegou a grande chance que Nico Rosberg tanto esperava desde que entrou na F1 em 2006. O alemão tem um estilo que não empolga nem provoca suspiros a muitos, mas é extremamente eficiente quando as coordenadas se alinham. Foi assim que logrou na metade da temporada passada a primeira vitória, inclusive batendo um Hamilton que sabidamente é mais piloto que ele.

Com um carro que demonstrou nos testes coletivos ter uma linda pinta de campeão, Rosberg vai ver no companheiro o grande adversário na luta pelo título de 2014. Sua arma principal é justamente sua característica de saber tratar o carro bem o bastante para mantê-lo consistente durante a corrida toda, algo imprescindível nesta nova era. Que, traduzindo em outros termos, é a inteligência para tentar minar o emocionalmente oscilante Hamilton.

VICTOR MARTINS

Lewis Hamilton provou, acima de tudo, que fez a mudança certa ao sair da McLaren. Quando pôde, venceu e fez pole na condição de piloto mais rápido em velocidade de classificação. Mas teve vezes que o inglês passou por percalços que têm sido rotineiros em sua carreira, coincidentemente quando sua relação amorosa com Nicole Scherzinger está afetada. Uma vez reatado o romance entre os pombinhos, Hamilton voltou a andar no seu ritmo – insuficiente para acompanhar o de Sebastian Vettel.

Agora, pelo o que apresentou na pré-temporada, Hamilton é o novo Vettel, o cara a ser batido. Hamilton já tem a mão de como funciona a Mercedes, que o adotou como xodó e fez um carro que vai proporcioná-lo viver as glórias de 2007 e 2008 – torcendo para que o resultado seja o mesmo do segundo ano, quando conquistou o título em cima de Felipe Massa.

VICTOR MARTINS
 

Comentários

Matéria anterior

Equipes: Red Bull
Como em 2013, a Red Bull não conseguiu voltas rápidas nos testes. E vai perder o rumo dos títulos
por Flavio Gomes
Próxima matéria

Equipes: Ferrari
Entre poucas falhas e uma performance razoável, a Ferrari se apresenta com o melhor elenco do grid
por Flavio Gomes